Menu
JORNAL ELETRÔNICO | PORTO VELHO | RO/BR - NOTÍCIAS EM TEMPO REAL - DATA: 26 Abr, 2017 (PLANTÃO 24H- ☏ 9.8497 2015 WHATS) HORA LOCAL:

disk pvh banner3

 

Search - K2
Busca - Categorias
Pesquisar - Contatos
Pesquisar - Conteúdo
Busca - Fonte de Notícias
Pesquisa - Tags
Operação Crisol da PF revela poderoso esquema de extração ilegal de ouro no Brasil: Definidos candidatos ao cargo de Procurador-Geral de Justiça do MP/RO: Projeto prevê licença de 3 dias para funcionária menstruada: "1º Ato em Prol da Família" promove apoio ao prefeito de Ariquemes: Dias Toffoli aparece na Operação Custo Brasil em relação com acusados de desviar mais de R$ 100 milhões: Declaração de Levy Fidelix contra gays é liberdade de expressão, diz TJ-SP: Grupo Rovema é reconhecido pela QualityInternacional: Ayres do Amaral é um dos presos na Operação Imprevidência: Principal alvo da Operação Imprevidência é Gilson Nazif, ex-secretário e irmão do prefeito de Porto Velho: Natal Solidário visa angariar brinquedos para crianças carentes: Dr Hildon é diplomado prefeito e fala sobre corte de gastos em Porto Velho: Polícia Federal investiga denúncia de malversação de R$ 80 milhões no IPAM.: Conheça o LFC: um campeonato de MMA com lutadoras usando lingerie: Odebrecht garante que sítio de Lula será objeto da delação: Em Rondônia, servidores exigem saída de ministro da transparência: Ministério Público aponta fraudes de R$ 2,5 bilhões no Bolsa Família: Ballet sem muito glamour – Professor Nazareno: Congresso pode aumentar tempo máximo de prisão de 30 para 50 anos, no Brasil: Participante do The Voice Brasil morre em acidente de carro: NOTA DE ESCLARECIMENTO EUCATUR: Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou: Ana Hickmann relata momentos de terror: “Tive a certeza que ia morrer”: Homem que invadiu hotel era obcecado por Ana Hickmann; ele foi morto pelo cunhado da apresentadora: Feempi apoia formalização de mototaxistas através do MEI:

Banner Orthocenter 256

 

Reforma trabalhista altera 117 artigos da CLT

  • Escrito por JUSBRASIL

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
trabalhista (Projeto de Lei 6.787/2016), caso aprovada, mudará 117 pontos da legislação. A proposta é que a lei de 1943 se adeque à modernização do mercado de trabalho. Mas o que é considerado modernização por uns é visto como retrocesso aos direitos trabalhistas por outros.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), até tentou votar ontem requerimento que pedia regime de urgência para apreciação do projeto da reforma trabalhista, o que foi rejeitado. O ponto mais polêmico é exatamente o pilar da proposta, a prevalência do negociado sobre o legislado, fazendo com que acordos coletivos prevaleçam sobre o que está dito em lei. São 40 itens – como banco de horas, parcelamento de férias e cumprimento da jornada de trabalho – serão definidos a partir da negociação entre patrões e empregados. A lista originalmente enquadrava 13 pontos nessa modalidade, mas o relator ampliou para 40.

O economista Sérgio Melo avalia que as mudanças, do modo como estão propostas, “são positivas, mas nem tanto”. Para ele, poderiam ser ainda mais flexíveis. “O que existe no Brasil é preocupação grande dos empregadores porque o número de obrigações que existem quando se contrata um funcionário amedronta”, diz.

O advogado Wagner Luís Verquietini, do escritório Bonilha Advogados, acredita reforma trabalhista vai acentuar ainda mais as desigualdades sociais e dizimar o direito do trabalho. “O objetivo é apenas extrair ainda mais lucro para as grandes empresas. Prova disso é que todos os pontos da reforma estão contidos no documento denominado Agenda da CNI (Confederação Nacional da Indústria) de 2017”. Para ele, a reforma trará informalidade ao mercado de trabalho e enfraquecimento do poder sindical.

Por outro lado, a gerente-executiva de Relações do Trabalho da CNI, Sylvia Lorena, diz que negociações coletivas voluntárias devem ser incentivadas sem qualquer restrição e não precarizam o trabalhador. Para ela, o texto do PL não revoga ou reduz qualquer direito previsto na CLT. “A proposta permite que empregadores e trabalhadores possam, se assim quiserem, ajustarem rotinas e condições de trabalho de acordo com necessidades e circunstâncias”.

Paulo Regis, juiz titular da 18º Vara do Trabalho de Fortaleza e professor de Direito da Universidade de Fortaleza (Unifor), critica a falta de debate em torno da reforma. “Eles foram direcionados a pessoas escolhidas, de acordo com a corrente de interesse dos empregadores”. E o fato da negociação passar a valer sobre o legislado, ele diz, inverte a ordem e altera a CLT em mais de 100 artigos. “A partir do momento em que os acordos prevalecem, você está fragilizando o hipossuficiente (trabalhador)”.

Helder Nogueira, secretário de Administração e Finanças da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE), lembra, assim como o juiz, que a CLT, apesar de ser de 1943, foi sendo modificada ao longo dos anos. “Esse desmonte ataca diversos eixos: precarização do trabalho, flexibilização dos direitos e favorece negociações que não passam pelo sindicato”.

Mas embora, historicamente, o protecionismo consista no “legítimo mecanismo de proteção ao trabalhador” face a altivez do empregador, Ana Paula Barbosa Pereira, coordenadora do setor trabalhista da filial Maranhão do escritório Nelson Wilians e Advogados Associados, ressalta que este mesmo princípio, muitas vezes é revestido por um viés paternalista que desvirtua a real finalidade da legislação. “Por um lado, isso garante resultados isolados aparentemente benéficos aos trabalhadores, de outro, é certo que essa característica tende a fragilizar a segurança jurídica, reforçando sobremaneira a necessidade de reformulação do aparato normativo trabalhista em alguns pontos, de modo a modernizá-los, jamais reduzi-los ou revogá-los”.

BEATRIZ CAVALCANTE

FACEBOOK GAZETA

>> NOTÍCIAS EM RONDÔNIA

Bookmaker with best odds http://wbetting.co.uk review site.
ÚLTIMAS :
Operação Crisol da PF revela poderoso esquema de extração ilegal de ouro no Brasil: Definidos candidatos ao cargo de Procurador-Geral de Justiça do MP/RO: Projeto prevê licença de 3 dias para funcionária menstruada: "1º Ato em Prol da Família" promove apoio ao prefeito de Ariquemes: Dias Toffoli aparece na Operação Custo Brasil em relação com acusados de desviar mais de R$ 100 milhões: Declaração de Levy Fidelix contra gays é liberdade de expressão, diz TJ-SP: Grupo Rovema é reconhecido pela QualityInternacional: Ayres do Amaral é um dos presos na Operação Imprevidência: Principal alvo da Operação Imprevidência é Gilson Nazif, ex-secretário e irmão do prefeito de Porto Velho: Natal Solidário visa angariar brinquedos para crianças carentes: Dr Hildon é diplomado prefeito e fala sobre corte de gastos em Porto Velho: Polícia Federal investiga denúncia de malversação de R$ 80 milhões no IPAM.: Conheça o LFC: um campeonato de MMA com lutadoras usando lingerie: Odebrecht garante que sítio de Lula será objeto da delação: Em Rondônia, servidores exigem saída de ministro da transparência: Ministério Público aponta fraudes de R$ 2,5 bilhões no Bolsa Família: Ballet sem muito glamour – Professor Nazareno: Congresso pode aumentar tempo máximo de prisão de 30 para 50 anos, no Brasil: Participante do The Voice Brasil morre em acidente de carro: NOTA DE ESCLARECIMENTO EUCATUR: Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou: Ana Hickmann relata momentos de terror: “Tive a certeza que ia morrer”: Homem que invadiu hotel era obcecado por Ana Hickmann; ele foi morto pelo cunhado da apresentadora: Feempi apoia formalização de mototaxistas através do MEI:

Специально для вашего глюкометра Тест-полоски Accu-Chek по лучшей цене
Entrar

Cadastrar